Publicidade
 
     
Buscar OK
     
 
AsBEA - Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura.
Tamanho do texto
Notícias

9/Abril/2009

Projeto da CPOS para a reforma do prédio do Detran-SP é aprovado


Proposta de revitalização apresentada por Oscar Niemeyer, autor do projeto original da década de 50, não teve boa repercussão por conta do custo elevado



A estatal CPOS (Companhia Paulista de Obras e Serviços) vai assinar o projeto de reforma do prédio do Detran (Departamento Estadual de Trânsito) em São Paulo. A área será revitalizada para abrigar o MAC (Museu de Arte Contemporânea).

O Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio) não aprovou o projeto de Oscar Niemeyer para a reforma da edificação da década de 50, que é de autoria do próprio arquiteto. Segundo a Secretaria de Estado da Cultura o projeto de Niemeyer foi abandonado por conta do custo elevado e dos impactos negativos que seriam gerados na arquitetura original. O projeto de Niemeyer foi estimado em R$ 120 milhões, sendo que a secretaria já havia sinalizado em dezembro de 2008 que dispunha de metade desse valor para a obra. O escritório de Oscar Niemeyer preferiu não comentar a avaliação da Secretaria. Ainda assim, afirmou que o arquiteto pretende divulgar uma nota, sem previsão, sobre o caso.

No projeto apresentado por Niemeyer, os vidros da fachada e seu aspecto cinzento seriam substituídos por superfície branca. O arquiteto também idealizou a construção de uma rampa externa e a inserção de uma escultura, ambas vermelhas. E na parte de trás do edifício, uma extensão em meia lua de 30 m² com pé direito de 20 m de altura. A edificação seria usada para abrigar exposições temporárias, grandes instalações ou performances.

Já a CPOS propôs a demolição das edificações não originais, já aprovada pelo Conpresp, e a execução de novos elementos. Entre eles, duas torres de circulação vertical, uma nova passarela acoplada à existente, ampliação do anexo e tratamento opaco para as fachadas. Entretanto, a proposta também não atende plenamente as questões de preservação do edifício.

O Conpresp recomendou a reconstituição e recomposição do fechamento externo de esquadrias do prédio, conforme a construção dos anos 50, a redução do volume dos blocos de circulação vertical e a adoção de soluções que dêem transparência ao trecho do bloco situado entre o nível do solo e a laje do primeiro pavimento. O Conselho também adotou diversas diretrizes para o projeto, como a permanência do fechamento dos caixilhos na posição atual, a inversão dos blocos de circulação da posição de elevadores e escadas para obter-se um maior afastamento das empenas cegas.

Fonte: Pini (SP)



  Imprimir Envie para um amigo
 

ASSOCIADOS
Login (e-mail) Senha  
Esqueci a senha  



SÓCIO COLABORADOR
Caso você não visualize a animação corretamente, clique aqui para fazer o download do FlashpPlugin.








CADASTRE-SE
Mantenha-se informado sobre o mercado de arquitetura
Nome E-mail
 
Cadastrar



VEJA TAMBÉM
AsBEA - 19/03/15
CBCA abre inscrições para 8º Concurso para Estudantes de Arquitetura

AsBEA - 19/03/15
Pavilhão de exposições do Museu de Arte do Rio recebe instalação luminosa na fachada

Intervenção artística transforma poemas contemporâneos em luz por meio de código Morse


 


AGENDA
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31





 


Institucional Mkt Relacionamento Associe-se Associados
Prêmio AsBEA Manuais Notícias Eventos
Clipping Indique Galeria Fale Conosco
Anuncie      

ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS